Average rating for our customers
4.8
On 5
  Last comment: 19-11-2016
buena atención, calidad y precio. Mis felicitaciones Luis
Productos de Ortopedia


Quem somosVisita virtualLocalizaçãoContacte-nosInformação legalCondições de venda
Web noticias Maximize

CCAA ACELERAR os cortes em 2013 pela queda do RENDA

Autonomia acelerar cortes em 2013 pela renda cair

More details

Web noticias

» Adicionar à minha lista de desejos

CCAA ACELERAR os cortes em 2013 pela queda do RENDA

CCAA ACELERAR os cortes em 2013 pela queda do RENDA

Autonomia acelerar cortes em 2013 pela renda cair

Sending, please wait...

Your question has been sent! We'll answer you as soon as possible.

Sorry! An error has occurred sending your question.

Os serviços públicos das regiões será menor e de qualidade inferior em 2013. Os governos regionais têm menos dinheiro para emprestar: Corrente do imposto de renda aqueles que recebem transferências do Estado e será reduzido em 6,1%, em média, de acordo com a análise de Proposta de orçamento das Comunidades Autónomas para 2013 lançado pelao Ministério das Finanças.

As comunidades também têm menos espaço fiscal. Eles devem reduzir o déficit pela metade (de 1,5% do PIB em 2012 de 0,7% aprovado este ano). Na época, eles precisam financiar 48,020 milhões durante o ano, mais do dobro do que o governo concedeu 23 000 milhões em Fundo Regional de Liquidez (FLA) para ajudar a territórios que não podem ser financiados. Eque, com os mercados se separaram [requerem condições financeiras difíceis] que não confia totalmente nas comunidades.

"Os orçamentos para 2013 será muito restritiva", disseram analistas Cesar Cantalapiedra AFI e Carmen Lopez em um artigo publicado quinta-feira passada Func (Fundação caixas de poupança) sobre as rubricas orçamentais das comunidades. O Ministério das Finanças informou no início deste ano que as comunidades reduzir seus gastos em 7,1% e anunciou que todos os orçamentos apresentados [na ausência de contas da Galiza, Catalunha e do País Basco até o final de 2012 as eleições] são definidas o déficit esperado de 0,7% do PIB.Os constrangimentos financeiros, reduzindo a margem de déficit estabelecido pelo Ministério das Finanças e da queda nas receitas forçado comunidades para afiar tesouras em 2013. Nos últimos anos, jibarizaron e investimentos ao mínimo. Basta colocar a faca é deixada para amputar parte das despesas estruturais (a operação): vai piorar cortes orçamentais na área da saúde (a despesa cai 6,8%), educação (8,6%), serviços sociais (-13, 3%) e comunidades do setor público, como evidenciadocontas regionais compilados pelo Tesouro. Isso já está acontecendo nestas primeiras semanas do ano. Emergência foram fechadas em algumas cidades, tem aumentado o controlo da despesa farmacêutica e substituição limitado de professores nas escolas.

O corte das regiões afetadas nos últimos anos, especialmente, o capítulo sobre o investimento, caíram cerca de 50% nos últimos três anos. Longe estão os grandes projetos faraônicos e até mesmo planos de construir novas escolas e centros de saúde foram congelados na melhor das hipóteses. Mas depois de anos de quase raspando é possível reduzir o investimento jogo sem afetar a manutenção da infra-estrutura já construída. E, no sexto ano da crise ainda estão intactas as demandas de acerto de contas públicas."Uma vez que todo o caminho de corte de investimentos para reduzir os gastos, que após três anos de declínios de dois dígitos acumular de 2013 representam apenas 10,4% do total das despesas, as comunidades enfrentam um processo que irá ser necessário reduzir a sua estrutura funcional "analistas AFI adicionado.

O Executivos regionais demitir parte de seus funcionários públicospessoal s-agência e temporária, para diminuir sua conta de folha de pagamento em cerca de 6%, o que vai economizar mais de 2.200 milhões de euros, segundo dados compilados pelo Tesouro de 13 comunidades."Orçamentos ter cortes significativos nas transferências correntes e despesas com pessoal, com base principalmente em cortes regionais do setor público e de atrito na própria administração", dizem Cantalapiedra e Lopez no relatóriodos Func. E acrescentou: "O exercício de 2013 será muito restritiva por meio de gastar regiões com a destruição de emprego público significativo e maior do que os de 2012."

Muitos desses trabalhadores vêm de empresas públicas regionais. Um dos grandes desafios da autonomia para este exercício é a remoção das 477 entidades públicas (empresas, fundações e organizações) que estão comprometidos com o Tesouro para remover.

Haverá também reduções na saúde, educação e serviços sociais. Madrid é a comunidade que diminuir esses itens. E isso, que o grande corte no ocultismo Capítulo Saúde das despesas de capital (para a privatização da gestão em seis hospitais). Murcia (-12,8%), Aragon (-12,9%) e Andaluzia (10,8%) são os outros territórios que mais vai reduzir o dinheiro para a cura. Essas autonomias com Asturias (-8,7%) também são mais recursos didáticos reduzidos.

Quanto à renda, quase todos os aumentosde autonomia fiscal feito em 2013, especialmente as taxas de crescimento e da propriedade e dom de impostos serão enxugadas pela redução do imposto de transferência e imposto de selo (ITPAJD) cuja renda vai diminuir este ano para 5.088.000 ( sem Galiza, País Basco e Catalunha), em média 12,3% menos que no ano passado. Os governos regionais entrarão através deste imposto um terço a menos do que no início da crise (10.044.000 em 2008). Esta homenagem é o mais identificável com a atividade da comunidade. Portanto, essa queda reflete a imagem encolher que estão sofrendo as estruturas regionais. Para compensar, a receita autônoma espremer a herança e imposto de presente. Eles esperam arrecadar € 1958000000, 23,3% a mais que em 2012. Executivos da região também criaram novas taxas e enviados aqueles que já têm no lugar para encontrar recursos. Digite 12,9% a mais para as taxas e encargos que no ano passado, o que representa cerca de 400 milhões a mais.

"Em um cenário marcado diminuição das receitas, apesar dos esforços para aumentar a receita e cortar o caminho do investimento extremamente baixo, o cumprimento exigente targetdéficit para 2013 será necessariamente reduzir os gastos correntes ", diz Func.

Títulos do Tesouro em circulação esquecer

As comunidades autónomas acumular mais de 10 mil milhões de eurosdívida com os fornecedores.

Os últimos dados disponíveis, em outubro de 2012, elevou o valor das contas a pagar dessas administrações a 13.730 milhões de euros. Finanças ofereceu a figura no relatório de execução do orçamento mensal para as regiões até outubro. Mas, em novembro, o seguinte relatório, o mais recente lançado há duas semanas, evitou incluir o total da dívida a fornecedores. Sim incluídos, no entanto, a variação da dívida nos primeiros 11 meses do ano, 9,627 milhão a menos do que o mesmo período do ano passado. Grande parte desta redução se deve ao plano de pagamento de faturas pendentes provedor lançado pelo governo no início do ano passado, no valor de 17.704.000.

Conforme os dados do Tesouro não oferece mais autonomia dívida comercial deve se voltar para os dados fornecidos por organizações industriais mais importantes (Farmaindustria Fenin e ATA) que aumentam a circulação de pagamento de autonomia para 11529000 e que não inclui os desenvolvedores de grandes infra-estruturas.

Algumas comunidades afirmam que o governo de um novo plano para liquidar facturas de fornecedores. Muitos deles são: défices excessivos de anos anteriores que não tenham sido capazes de financiar porque o financiamento permitir.

 

Escreva a sua opinião

CCAA ACELERAR os cortes em 2013 pela queda do RENDA

CCAA ACELERAR os cortes em 2013 pela queda do RENDA

Autonomia acelerar cortes em 2013 pela renda cair

Escreva a sua opinião